TRANSPORTADORAS DE MUDANÇAS RESIDENCIAIS EM TODO O BRASIL

TRANSPORTADORAS DE MUDANÇAS RESIDENCIAIS EM TODO O BRASIL
Diga que viu esta propaganda na Rede Brasil e ganhe descontos: (73)-3613-5948, 9109-0554 (whatsApp), 9953-8019 e 8825-8541 (clique na imagem)

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Troca-troca: Ubiraci vai pra Ilhéus e Riccio vem para Itabuna

O major Daniel Riccio Teixeira assumirá o comando do 15º Batalhão da Polícia Militar, em Itabuna. A nomeação foi publicada na edição de hoje (28) do Diário Oficial do Estado. Riccio comandava a 70ª Companhia Independente da Polícia Militar em Ilhéus. Já o tenente-coronel, Ubiraci Barbosa deixa o comando do 15º BPM para assumir o Batalhão da PM em Ilhéus. (Pimenta)

Corpo de homem é encontrado em estrada de Canavieiras

O corpo de um homem foi encontrado na tarde desta sexta-feira em uma estrada vicinal, a mil metros da BR-220, em Rio Brilhante – distante 163 km de Campo Grande. De acordo com informações, pessoas que passavam pelo local viram o corpo e acionaram a Polícia. Foi constatado que o homem foi morto a tiros e estrangulamento, o corpo foi encaminhado ao IML de Itabuna para exames. A Policia ainda não tem pistas sobre o caso, mas já investiga as prováveis causas. (Isto é Notícia)

TV começa a produzir com ultra definição de imagem

O canais pagos e abertos começaram a investir mais em produções filmadas 4K, com uma ultra definição de imagem. De olho no aumento das vendas de televisores 4K, canais como HBO e Off já estão apostando em produtos com essa tecnologia. Especialista em imagens de paisagens paradisíacas aliadas a esportes radicais, o Off terá o primeiro episódio da terceira temporada de “Slackline”, que vai ao ar no dia 20, gravado em 4K. Foram usadas quatro câmeras e um drone (aparelho que capta imagens aéreas). A HBO já está produzindo séries nacionais em 4K. Produções com “O Negócio” e “Sr. Ávila” utilizaram o recurso da ultra definição de imagem e as novas séries, para 2015, serão integralmente produzidas com essa tecnologia. Na TV aberta, a Globo teve sua primeira produção totalmente gravada em 4K no final do ano passado, a série “Dupla Identidade”. A emissora pretende utilizar a tecnologia em novas produções neste ano. Enquanto os canais se preparam para o 4K, a indústria já fala no 8K, sistema que oferece resolução e qualidade de imagem mais de dez vezes superior ao melhor padrão existente hoje. (Keila Jimenez)

Acusado de roubo de carros foi preso em Itajuípe

Em cumprimento de mandado de prisão, a policia de Itajuipe, prendeu na tarde desta sexta (27), Alex Silva Santos. Segundo a policia, Alex está sendo acusado de roubar vários veículos.s na região. O homem foi encaminhado para delegacia de Itabuna, e já esta à disposição da Justiça.

Informativo do 15º Batalhão da Polícia Militar

ITABUNA
1.1 CADÁVER ENCONTRADO
Por volta das 14h do dia 27/02, uma guarnição da PM, deslocou-se até a Rua do Prado, nas proximidades da Ponte Nova, onde foi encontrado, boiando no Rio Cacheira, o corpo de um homem não identificado. A vítima estava com um afundamento no crânio, porém não foi possível constatar se foi em decorrência de agressão física ou afogamento. O Corpo de Bombeiros retirou o corpo da água e o DPT fez a remoção do local.

Praias São Miguel, Marciano e Malhado impróprias para banho

Das praias avaliadas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) em Ilhéus, três estão impróprias para o banho neste fim de semana. O Inema chama atenção para que os banhistas evitem as praias de Barra de São Miguel (em frente à rua de acesso a praia), Marciano (próximo ao bar litrão) e Malhado (próximo à escultura da sereia). Nas demais praias de Ilhéus, as condições são normais, lembrando que deve-se evitar o banho de mar em tempo chuvoso. O diagnóstico das condições de balneabilidade é obtido mediante o recolhimento de amostras, durante cinco semanas, nas praias da Barra de São Miguel, Marciano, Malhado, Avenida, Cristo, Opaba, Milionários, Olivença e Cururupe, 100m antes lançamento da Ceplus e 100m depois lançamento da Ceplus.

A crise é de confiança

Reportagem da revista Veja analisa o rebaixamento da nota da Petrobras pela agência de análise de risco Moody’s, o perigo de que a falta de confiança se alastre por toda a economia e a estreita margem de manobra de Dilma Rousseff, premida pelo isolamento político e pela queda de popularidade. "A grande dificuldade desta situação é que ela foi construída justamente pelo grupo que está no poder", diz o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, em entrevista a Veja. Leia aqui

Só dá Brasil no noticiário internacional
Em 'O Belo e a Fera' desta semana, Joice Hasselmann e Marcelo Madureira comentam a crise brasileira que já ultrapassou as barreiras faz tempo. Ele argumenta porque se ufana do nosso país, e de quebra aconselha o juiz que gosta de passear com o carro de Eike Batista: "Melhor passear com a Luma". E o babaca da semana, quem será? Veja

Sobrinho de Lula faz fortuna com negócios em Cuba e na África
Taiguara Rodrigues dos Santos é filho de Lambari, irmão da primeira mulher do ex-presidente. De pequeno empresário de Santos, ele se tornou milionário graças a privilégios obtidos na agência do governo para o comércio exterior. Veja

A ruína ideológica do petrolão

A crise da Petrobras mostra que a ideia de um capitalismo de Estado à brasileira deu chabu. Leia

Dilma se assusta com relato sobre a crise dos caminhoneiros
Ela parecia saber muito pouco sobre as consequências da paralisação do transporte de cargas e se assustou com o tamanho do problema. Leia

Youssef envolve André Esteves, do BTG Pactual, no petrolão
Delação premiada, obtida por ÉPOCA, fala de esquema na BR Distribuidora. Leia

Um país conflagrado

Caldeirão social fervilha em meio a brigas de militantes nas ruas, paralisações de rodovias por caminhoneiros, greves de professores e metalúrgicos e uma população cada vez mais revoltada com o aumento do desemprego e do custo de vida. Aonde vamos parar? Leia

Uma cidade de bem com a vida
Aos 450 anos, o Rio passa por uma das maiores transformações urbanísticas de sua história, se consolida como a capital dos grandes eventos e comemora um vigor econômico sem precedente. Leia

O juiz, os carrões e o ex-bilionário
Os golpes do juiz federal que pegou para uso pessoal os carros, e até o piano de cauda, de Eike Batista, fazendo com que os processos contra o empresário voltassem à estaca zero. Leia

A hora da verdade no HSBC

Favorecimento à lavagem de dinheiro e à evasão fiscal. Um CEO que ocultou seus bônus em paraísos fiscais. Acusações de fraude cambial e manipulação do mercado. Lucros em queda. Parece não haver um fim para os problemas do banco. Há uma saída? Leia

Carga pesada
Com o ajuste fiscal bombardeado por caminhoneiros, centrais sindicais e políticos da base, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tenta salvar o grau de investimento do País. A primeira derrota foi o corte na nota da Petrobras. Leia

A desconstrução das empreiteiras
Sem receber da Petrobras, sem crédito na praça e endividadas, empresas investigadas na operação Lava Jato lutam para sobreviver. A dúvida é quem vai assumir as obras. Os candidatos são poucos. Leia

O Brasil sem empreiteiras

A tragédia do impasse: a necessária punição aos corruptos e a ausência de empresas aptas a tirar o Brasil da crise.

Alienígenas à vista
Punem-se os corruptos mas salvem-se as empresas, a bem do trabalho, do emprego e da independência do Brasil. Leia

Quem tem medo de Angela Merkel?
Não é apenas Tsipras quem mostra desconforto em relação à hegemonia alemã. Leia

Video da luta: Cris Cyborg x Charmaine Tweet

Foi melhor que o esperado o retorno da brasileira Cris Cyborg ao MMA após mais de um ano afastada. De forma rápida Cris arrasou a canadense Charmaine Tweet no evento principal do Invicta FC 11, na madrugada deste sábado (28), em Los Angeles e para isto precisou apenas de 40 segundo para vencer por nocaute técnico.

Conta de luz vai ficar mais cara 5,40% na Bahia

A partir da próxima segunda-feira, 2, a conta de luz vai ficar mais cara para consumidores atendidos por 58 concessionárias. A revisão tarifária extraordinária para essas empresas foi aprovada nesta sexta-feira, 27, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e a previsão é de aumento médio de 23,4%. Na Bahia o aumento será de 5,40%. Os maiores reajustes serão para as distribuidoras AES Sul (39,5%), Bragantina (38,5%), Uhenpal (36,8%) e Copel (36,4%). Os mais baixos serão aplicados para as distribuidoras Celpe (2,2%) e Cosern (2,8%). A distribuidora CEA, do Amapá, não pediu a revisão tarifária. Já as empresas Amazonas Energia (AM), Boa Vista Energia e CERR (RR) não terão revisão tarifária porque não participam do rateio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e não estão no Sistema Interligado Nacional. A Ampla (RJ) também não passou pela revisão, porque seu processo tarifário ocorre em 15 de março, quando todos os efeitos serão considerados. Os impactos da revisão serão diferentes conforme a região da distribuidora. Para as concessionárias das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o impacto médio será de 28,7% e, para as distribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste, de 5,5%. Segundo a Aneel, a revisão leva em consideração diversos fatores, como o orçamento da CDE deste ano, o aumento dos custos com a compra de energia da Usina de Itaipu - por causa da falta de chuvas -, o resultado do último leilão de ajuste - que aumentou a exposição das distribuidoras ao mercado livre - e o ingresso de novas cotas de energia hidrelétrica.

Abertas 6 mil vagas para cursos profissionalizantes na Bahia

Jovens com idade entre 18 e 29 anos que não concluíram o ensino fundamental e estão fora da escola, mas que desejam retomar os estudos e obter uma qualificação profissional, podem se inscrever para concorrer a uma das 6.570 vagas dos programas Projovem do Campo e Projovem Urbano. As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 20, nos 71 municípios do estado com vagas abertas. Em Salvador e Região Metropolitana estão disponíveis 1.050 vagas. Os cursos são promovidos pela Secretaria da Educação do estado e garantem um diploma de conclusão do ensino fundamental e outro de formação profissional na modalidade escolhida. Os estudantes terão direito a uma bolsa auxílio mensal de R$ 100. O Projovem Campo tem duração de 24 meses e 3.630 vagas para candidatos que moram na zona rural. As oportunidades são nas áreas de agroindústria, agricultura, extrativismo, sistema de cultivos e sistema de criação. Já para o Projovem Urbano, a duração do curso será de 18 meses e as vagas são nas áreas de administração, alimentação, arte e cultura, construção e reparos, metalmecânica, saúde e telemática. Os inscritos nessa modalidade, que tem filhos de até 8 anos, poderão usar uma sala de acolhimento, onde as crianças podem ficar enquanto eles estudam. Para se inscrever, os interessados devem comparecer ao centro de formação profissional do município onde desejam estudar, com originais e cópias de RG, CPF, título de eleitor, comprovante de residência e histórico escolar. Alunos com o ensino fundamental incompleto serão submetidos a um teste de leitura e escrita, por meio do qual será comprovado se o candidato tem capacidade para participar do programa. Veja onde se inscrever nos 71 municípios com vagas abertas (clique aqui)

Deputados baianos acham que estão ganhando pouco

Após a Câmara dos Deputados aprovar um pacotão de reajustes, que incluem aumentos nas verbas de gabinete, fato que gerou repercussão negativa no país, a medida pode ser copiada pela Assembleia Legislativa da Bahia. Embora o assunto ainda não tenha sido debatido entre os pares, é certo que as mudanças realizadas em Brasília abrem espaço para as alterações nas despesas do Legislativo estadual. Caso os benefícios sejam efetivados, tal fato vai acontecer em um momento de arrocho financeiro no estado, sendo uma “afronta” aos decretos de contenção de despesas estabelecidos, neste início de mandato, pelo governador Rui Costa (PT). O presidente da Casa, deputado Marcelo Nilo (PDT), já admite a possibilidade de os acréscimos chegarem ao Parlamento baiano, mas afirma que eles só irão ocorrer caso o governador autorize uma suplementação no orçamento, que atualmente é de R$ 440 milhões. “Na segunda-feira eu vou fazer um levantamento de todos os custos e apresentar depois ao governador. Só vou fazer se ele passar o aumento”, disse. O dirigente justifica o Regimento para afirmar que a Casa deve seguir as determinações tomadas na Câmara. “É lei”, restringiu. Uma lei de 2006 equipara a verba ao valor pago em Brasília. Questionado se os aumentos dos custos não contrariam o aperto financeiro do país, ele associou a decisão ao governo federal e disse que os deputados federais “erraram em aumentar a verba”. “Já estava boa demais”, criticou.

Tucanos desconversam sobre lista de corrupção na Petrobras

Diante dos comentários de que haverá nomes de líderes tucanos na lista do escândalo de corrupção na Petrobras que o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, encaminhará na semana que vem ao Supremo Tribunal Federal (STF), dirigentes do PSDB reunidos na tarde desta sexta-feira, em São Paulo, desconversaram. Sobre a possibilidade de que seu nome possa estar na lista, o presidente nacional do partido, senador Aécio Neves (MG), disse que quem poderia responder a essa pergunta seria o próprio Procurador-Geral. — Pergunte ao Janot — limitou-se a dizer Aécio aos jornalistas que o entrevistavam na porta do Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC), onde a cúpula tucana fez uma reunião para discutir aspectos da conjuntura da política e da economia. Além de Aécio e Fernando Henrique, participaram do encontro os senadores José Serra (SP), Aloizio Nunes Ferreira (SP), Tasso Jereissatti (CE) e Cassio Cunha Lima (PB), líder do PSDB no Senado. Diante da insistência dos repórteres sobre a presença de algum tucano na lista de Janot, Aécio disse que a preocupação maior do partido é que o Ministério Público e o STF façam sua parte.

Executivos da Camargo viram delatores

Dois executivos da cúpula da empreiteira Camargo Corrêa fecharam na noite desta sexta-feira (27) um acordo de delação premiada com procuradores e policiais federais da Operação Lava Jato. Eles são os primeiros integrantes de uma empreiteira de grande porte que decidem relatar crimes e irregularidades em obras da Petrobras para tentar obter pena menor. Os procuradores, no entanto, recusaram o acordo com João Auler, presidente do conselho de administração da empreiteira. Segundo a Folha apurou, eles julgaram que o executivo não contara tudo o que sabia sobre as irregularidades em que a empreiteira está supostamente envolvida. A dupla que fez o acordo é formada pelo presidente da empreiteira, Dalton Avancini, e pelo vice Eduardo Leite. Com eles, a Operação Lava Jato passa a ter 15 delatores. A multa a ser paga pelos dois executivos deve ultrapassar R$ 10 milhões. O trio está preso desde o meio de novembro na sede da Polícia Federal em Curitiba. A dupla que fez o acordo deve sair nos próximos dias. Eles são réus na Justiça Federal, acusados de ter pago cerca de R$ 40 milhões em propina para obter contratos como o da construção da refinaria Abreu e Lima (PE), e o da modernização da refinaria Presidente Vargas (PR). A expectativa dos procuradores é que os executivos revelem, além dos problemas na Petrobras, irregularidades na construção da usina de Belo Monte, por exemplo.

Levy: ‘brincadeira’ da desoneração custa R$ 25 bi

Num discurso bastante duro e crítico à política de desonerações da folha de pagamentos, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, atacou os problemas do modelo de renúncia fiscal adotado pelo governo e afirmou que essa "brincadeira" custou R$ 25 bilhões aos cofres do governo. Segundo ele, quando o regime de desonerações foi criado, a "presunção" era de neutralidade na arrecadação, mas que aos poucos o governo foi "aumentando, aumentando, aumentando" o número de empresas incluídas no programa resultando num sistema muito desigual entre elas. Ele ponderou que algumas empresas "ganham muito com as desonerações, outras ganham e outras, nem tanto". O aumento na alíquota da folha, conforme nota divulgada pelo Ministério da Fazenda, vai significar uma economia de R$ 5,35 bilhões em 2015. Para 2016, a cifra será de R$ 12,84 bilhões. Levy fez questão de ressaltar que na época em que a medida foi adotada o dólar estava a R$ 1,60, mas depois houve uma ampliação do regime para o setor de serviços que não sofrem competição estrangeira. Ele também criticou o fato de que o aumento das desonerações da folha foi usado como "guarda chuva" com a justificativa de aumento de empregos, num momento em que o desemprego estava baixo. Levy disse que acredita que o governo tem o "suficiente" para conseguir cumprir a meta de superávit primário deste ano.

Professores do DF aceitam proposta e aulas voltam na segunda

Mesmo diante da insatisfação de grande parte da categoria, os professores decidiram pelo fim da paralisação, iniciada em 23 de fevereiro. Depois de longa reunião com o governo, representantes do Sinpro levaram nova proposta aos cerca de 10 mil docentes que estavam na Praça do Buriti. A maioria aprovou, mas parte dos insatisfeitos ficaram revoltados com a decisão. Jogaram bolas de papel, água, e alguns dos diretores do Sinpro precisaram sair escoltados do carro de som. Apesar do fim do movimento, a categoria marcou indicativo de greve para 9 de abril, um dia após o 5º dia últil, data da penúltima parcela do plano de carreira. Eles se reunirão em nova assembleia para debater o assunto.

Choque no bolso

Reajuste aprovado ontem pela Aneel na Revisão Tarifária Extraordinária pedida pela Cemig e por outras 57 distribuidoras chega a 39,5% no país. Para os consumidores residenciais mineiros, a eletricidade sobe 21,39%. O reajuste médio para os brasileiros é de 23,4%. Nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a alta média é de 28,7%. No Norte e Nordeste, de 5,5%. Segundo a agência, os consumidores vão arcar com o custo das usinas térmicas e de Itaipu e um rombo de R$ 22,06 bilhões na Conta de Desenvolvimento de Energia. O choque nas contas agora não elimina os reajustes anuais das empresas, e, no estado, nova alta deve ocorrer em abril. Vai pesar no bolso dos clientes ainda a correção do valor das bandeiras tarifárias, de R$ 3 para R$ 5,50 (83,3%) na cor vermelha (vigente hoje), a cada 100kw/h consumidos, também aprovada pela Aneel. Os acréscimos na conta e na taxa extra representam alta de 25,75% para uma residência em Minas com consumo de 100kw/h por mês (excluídos impostos).

Pernambuco terá aumento na conta de luz a partir de março

A partir da próxima segunda-feira (2), a conta de luz vai ficar mais cara para os consumidores pernambucanos. A revisão tarifária extraordinária para essas empresas foi aprovada hoje (27) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e a Celpe vai sofrer um reajuste de 2,2%. Os maiores aumentos serão para as distribuidoras AES Sul (39,5%), Bragantina (38,5%), Uhenpal (36,8%) e Copel (36,4%). A distribuidora CEA, do Amapá, não solicitou a revisão tarifária. Já as empresas Amazonas Energia (AM), Boa Vista Energia e CERR (RR) não terão revisão tarifária porque não participam do rateio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e não estão no Sistema Interligado Nacional. A Ampla (RJ) também não passou pela revisão, porque seu processo tarifário ocorre em 15 de março, quando todos os efeitos serão considerados. Os impactos da revisão serão diferentes conforme a região da distribuidora. Para as concessionárias das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste o impacto médio será de 28,7% e para as distribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste, de 5,5%. A diferença ocorre principalmente por causa do orçamento da CDE e da compra de energia proveniente de Itaipu. Também começa a valer na semana que vem os novos valores para as bandeiras tarifárias, que permite a cobrança de um valor extra na conta de luz, de acordo com o custo de geração de energia. Além da revisão extraordinária, as distribuidoras também passarão neste ano pelos reajustes anuais, que variam de acordo com a data de aniversário da concessão. Segundo a Aneel, a revisão leva em consideração diversos fatores, como o orçamento da CDE deste ano, o aumento dos custos com a compra de energia da Usina de Itaipu - por causa da falta de chuvas -, o resultado do último leilão de ajuste – que aumentou a exposição das distribuidoras ao mercado livre – e o ingresso de novas cotas de energia hidrelétrica.